terça-feira, 26 de junho de 2012

Asilos não estão deixando velhinhos fazerem sexo o suficiente


26 JUN, 2012 - 08:59 - POR: CASSIE MURDOCH





Há um lado bom em passar os últimos anos de sua vida em um asilo. Você tem pessoas para lavar as roupas, você não necessita  cozinhar e você possui um grupo feito de amigos para sair zoando por aí. Mas, claro, há um monte de coisas obviamente ruins, também. E uma delas é bem chata (tá, vai, a maioria é um saco, mas enfim…). Uma recente pesquisa do Australian Centre for Evidence Based Aged Care mostra que muitas pessoas em abrigos para idosos são proibidas de fazer sexo com seus companheiros de casa por motivos de segurança e idade. Ah, cara, existem poucas coisas piores que o próprio asilo tentando melar sua chance de se dar bem.
Idosos não são crianças, então teoricamente eles deviam fazer o que bem entendessem, de forma razoável, certo? E quando eles moram em casa, muitos velhinhos – até aqueles nos estágios iniciais de demência, de acordo com o estudo – continuam tendo relações sexuais. Mas uma vez que vão para a “casa grande”, é outra história. Existem problemas de vários tipos, como a falta de privacidade, a preocupação com saúde e segurança, e o que os parentes vão dizer dessas relações. Os pesquisadores dizem:
Desde que foi bem estabelecido que sexualidade e intimidade seguem importantes na terceira idade e são pontos centrais na saúde e bem estar de um indivíduo, a falta de atenção às vontades sexuais dos residentes das casas de repouso tem sido alarmante.
É preocupante, mesmo, porque aparentemente nós pensamos que os velhinhos estão mortos por dentro muito antes de, bem, estarem mortos de verdade. Os pesquisadores descobriram que os residentes dessas casas não querem ser reconhecidos como carentes de uma necessidade, e eles também acham que os médicos deviam ser um pouco mais proativos em relação à essas partes de suas vidas. Mas é raro encontrar políticas ou regras que se refiram aos termos das relações sexuais. E existem complicações legais, em alguns casos, como estabelecer que alguém é mentalmente competente o suficiente para consentir (o ato). É realmente difícil de equilibrar as urgências do paciente com a responsabilidade de assegurar que eles estejam cuidados, mas esta não pode ser uma questão evitada em seu todo, ou, como os pesquisadores afirmam, as casas de repouso seriam acusadas de “sufocar sua autonomia e personalidade”. Ou seja, há de se tomar mais providências em relação a isso – particularmente até os baby boomers ficarem velhos e começarem a descansar seus corpos robustos em asilos, aos montes. Assim como alguns de nós preferimos não pensar na vida sexual de pessoas que sejam um ano mais velha que a gente, isso não quer dizer que eles não possam transar com quem quiserem entre as partidas de xadrez e as aulas de tricô.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por ter deixado um recado...volte novamente para podermos trocar experiências e novidades...beijao!!!