quinta-feira, 7 de junho de 2012

DICA DE LIVROS TIRADO DO SITE DA EDITORA MALAGUETA (www.editoramalagueta.com.br )





Livros de Karina Dias

aquele_dia_junto_ao_mar_baixagarota_atrevida_frenteA autora do super sucesso Aquele dia junto ao mar, que chega à segunda tiragem, lançou também o delicioso Diário de uma garota atrevida, a história de uma adolescente que vai descobrindo seus desejos por outras meninas.
Se você gosta de histórias ágeis, sensuais, com aquela cara-de-pau simpática das cariocas legítimas, não dá para ficar sem ler Karina Dias.

PostHeaderIcon Histórias românticas

A Brejeira Malagueta tem o maior catálogo de obras românticas, veja algumas.

capa-lumia-baixaaquele_dia_junto_ao_mar_baixadepois_daquele_beijocapa-glamour-imprensa-baixajulieta_e_julietapostal_de_alice_springsuma_questao_de_amorlua_de_prata
capa-shangrila-baixa

PostHeaderIcon Livros que falam de sexo

Existem dois "manuais" que explicam o sexo entre mulheres, para quem está se iniciando nas delícias do amor feminino ou quem sabe quer ter inspiração para sexo_entre_mulheresnovas práticas. Os dois já são clássicos, mas claro que a gente aqui da Malagueta precisa oferecê-los: Kama sutra para lésbicas, da espanhola Alicia Gallotti, e Sexo entre mulheres, da maluquícima americana Susie Bright.
Cá entre nós (que as estrangeiras não leiam essa opinião), acreditamos que nós, brasileiras, damos de dez a zero em sexualidade nessa turma do norte do planeta. Basta ler as descrições calientes em 
Shangrilá Aquele dia junto ao mar...
Como livros didáticos, no entanto, estes dois são muito bons (clique nas capas ou títulos para saber mais).

kama_sutra

PostHeaderIcon Cassandra Rios, pioneira da literatura lésbica brasileira

eu_sou_uma_lsbicaCassandra Rios, cujo nome real era Odete, nasceu em 1932 em São Paulo e faleceu no dia internacional da mulher, 8 de março de 2002.
Foi uma escritora polêmica que ficou conhecida pela ousadia de suas obras, consideradas por alguns como pornográficas, por outros como irresistíveis.
Nas décadas de 1960 e 1970, foi das autoras brasileiras que mais vendeu livros, chegando à marca surpreendente de 300 mil exemplares por ano, algo de que apenas Jorge Amado chegava perto na época. Foi também uma das mais perseguidas pela censura, tendo tido nada menos do que 34 de seus romances retirados de circulação pela ditadura militar.
Suas obras misturavam lesbianismo, cultos umbandistas, negócios e política, mas ela marcou a imaginação de milas_tracashares de adolescentes e jovens com as descrições diretas, sem rodeios, de encontros sexuais os mais variados. Pode-se dizer que foi a primeira escritora brasileira a mostrar a mulher como um ser sexual, com desejos próprios muito além de ter filhos.
Foi também a pioneira em retratar as lésbicas nas letras brasileiras, ainda mais por apresentá-las como pessoas cuja natureza é homossexual, não resultado de doença ou passível de re-educação como se acreditava na época.
Temos orgulho de colocar à disposição de nossas leitoras as obras atualmente em catálogo com temática lésbica desta escritora excepcional:
Eu sou uma lésbica
Relato de 1980, super direto, que conta a fascinação da menina Flávia pela linda vizinha, dona Kênia. Você não vai acreditar nesse final, é uma surpresa e tanto!
As traças
Andréa é uma adolescente que se apaixona loucamente pela professora de história, dona Berenice. Sem saber como lidar com seus sentimentos desvairados, ela vai experimentando o mundo de sua sexualidade proibida.

PostHeaderIcon Boleros de papel

boleros_de_papelDiedra Roiz sabe como mexer na emoção das mulheres. Seus contos vão ali direto no que incomoda, interessa, excita as lésbicas, tanto que é uma das autoras favoritas pela internet. Uma chefe ordena à sua assistente que seja sua. Uma garota considera o envolvimento a três. Uma mulher se sente exilada da sua própria vida. Boleros de papel, ao som de muitos ritmos e músicas.

PostHeaderIcon Religião e homossexualidade

banquete_dos_excluidosbiblia_e_homossexualidadeTem muita gente que sofre por ter tantas vezes ouvido que homossexualidade é "pecado", que "sodomitas" causaram a destruição de Gomorra, que duas pessoas do mesmo sexo se relacionarem é uma "abominação".
Felizmente, há autores que vão contra essa corrente discriminatória e carregada de ódio, criando comunidades religiosas inclusivas, lendo a Bíblia com olhos de compreensão e não julgamento, procurando entender o lugar de gays e lésbicas dentro das grandes religiões.
como_pao_no_prato_sagradoo_que_a_biblia_diz_sobre_homossexualidadefe_alem_do_ressentimento_1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por ter deixado um recado...volte novamente para podermos trocar experiências e novidades...beijao!!!